Chacundum é um blog em dolby-stérico de Cláudio Reston, designer-músico e sócio da Visorama Diversões Eletrônicas.

4 de mai de 2002

Aliás, uma olhada nessa nova identidade visual da MTV só me leva a crer em uma coisa: os designers de lá devem se divertir muito trabalhando. Maneiro. :)

Fico imaginando seu Hans Chucrute assistindo e se perguntando 'bicho, o que que tá acontecendo?'
Nhamie, essa é pra você. :*
Senhoras e senhores do conselho deliberativo, é com imenso prazer que anuncio: Elesbão e Haroldinho no ar.

O site tem estrutura simplérrima, se resume basicamente numa interface para download. Pouco conteúdo online, muito conteúdo offline.

Puxem uma cadeira e sintam-se a vontade.

3 de mai de 2002

E Guilherme Avelino não vota em José Serra. Clique e descubra o porque.
O clipe Kaya N'Gan Daya do Gilberto Gil é uma das coisas mais bacanas que eu já vi na MTV. E o Blue Suede Shoes de Carl Perkins também.
Crazy Sarah?!?
É hoje o dia da alegria!
Golfadora, digo, golfista ganha Troféu Motumbo.

Essa dica foi do Ez.
E não são só os cariocas que odeiam Brushscript. Brushscript must die!

Dica da Nina.
Joy, amiga da Paw, escreveu uma coisa muito fofinha sobre o Rio. Goshtei. =)
Participe da campanha "dê um murro na boca do primeiro entrevistador babaca que apresentar um artista gordinho como um 'artista de peso'".

O mundo não merece esse tipo de gente.

2 de mai de 2002

O que não mata, engorda.
Devo estar vivíssimo então.
Para os junglists e drum'n'basseiros de plantão, segue outra dica: AK1200.

Músicas com peso, músicas mais melódicas com divas cantantes, de tudo um pouco. Bom demais.

Música eletrônica é isso aí, tem que ser inteligente e pesada, com subgraves generosos e milimetricamente detalhada. Senão vira um bate-estaca dos infernos, fica chato e repetitivo, coisa de gente que toma dois docinhos e se joga. Blé.
Estátua devia se chamar estáuta.
Estáuta é muito mais divertido de falar.
É como poblema.

1 de mai de 2002

Claudinha, essa é pra você:

Da série 'meus standards prediletos': Well You Needn´t (Thelonius Monk).

Aliás, Thelonius é um dos meus compositores de jazz prediletos. Sua gravação original dessa música é muito boa, mas se quiser ouvir uma versão realmente matadora, procure a do Gonzalo Rubalcaba. É uma porrada, um colírio para os ouvidos.
Filho de Gonzaga, Gonzaguinha é.
O Chacundum pede uma pequena pausa para que os amigos leiam essa matéria sobre a situação no Oriente Médio, publicada na revista Caros Amigos desse mês. Aliás, se puder, leia a revista inteira. É uma das melhores publicações nacionais.
Hoje é o Dia do Trabalho, então... trabalhemos.

30 de abr de 2002

Chacundum traduzido por Wallid Ismail (ou Chacundum lotsa' bullshit version).
Hey, hey, mama, said the way you move
Gonna make you sweat, gonna make you groove!

29 de abr de 2002

E por falar em b-boys, apesar dos que estavam presentes terem feito uma apresentação meio over (uns 20 minutos a menos cairiam muito bem e deixariam a pista liberada para os demais), achei muito muito bom o som da galera do Apavoramento Sound System, pancadão da melhor qualidade. Virei fã.

Na quarta vai rolar mais uma rodada, só que dessa vez na Bunker. Eu odeio aquele lugar, mas pra ouvir o som dos caras tá valendo o esforço. Demorô.
Teria sido Sérgio Mallandro o primeiro b-boy brasileiro?

28 de abr de 2002

Mario, vou além: música sem grave, não é música, é só um firififi. Não chega nem a chacundum.

Já dizia a rapaziada sangue bom do Grave: o grave é o que segura o groove, sem o grave o agudo não é nada.
Daniel manda avisar:

--- cut here ---



Zero, a nova revista de música e cultura pop do país, chega às bancas.

"(...) A ZERO é fruto da segunda opção. Elaborada e dirigida por dois jornalistas Luiz Cesar Pimentel (Folha de São Paulo e Trip) e Alexandre Petillo (NP e Folha) e um designer Daniel Motta (Trip e Hey), a ZERO preenche não só a lacuna de uma revista musical feita com carinho, mas de um veículo de cultura pop que englobe cinema, viagens exóticas, literatura e comportamento. Apostando num estilo não-convencional, ela fala ao leitor como se ele fosse um amigo. O projeto gráfico foge do padrão "título estourado-coluna de texto-foto". Cada matéria é elaborada em sintonia editorial e gráfica (...)"

--- cut here ---

Gostou? Ficou curioso? Então dá uma força pra galera, compra lá. Iniciativas como essa são dignas de aplausos, principalmente num país onde a massa crítica é cada vez mais esmagada pela massa falida popular. A gente tem mais é que valorizar.

Detalhe técnico: a fonte usada no logo é Sambambers, by Tipopótamo Fontes!


Na sessão do fotógrafo Spencer Tunick, Motumbo marcou presença.

Ou você achou que aquilo ao fundo fosse um obelisco?

Arquivo do blog