Chacundum é um blog em dolby-stérico de Cláudio Reston, designer-músico e sócio da Visorama Diversões Eletrônicas.

1 de dez de 2001

Mas é bom lembrar que na garupa da moto, toda mulher tem bundão.
Sáciu falou, tá falado: quadril é fundamental. Mesmo.
Maurição dá a dica: 'The Fart Family'.

Que nojo.

30 de nov de 2001

Quando os Beatles se 'reuniram' para gravar Free As a Bird, o que mais ouvi foi gente malhando (como sempre). Bom, particularmente acho uma belíssima música. As inconfudíveis e irretocáveis guitarras de George Harrison, somadas ao som ruidento da gravação de Lennon e aos vocais, soaram como uma luva, deram uma atmosfera retrô e fizeram recordar aquela sonoridade única dos velhos tempos. Um legítimo chacundum, no sentido mais literal que essa palavra possa ter, e terá sempre seu cantinho garantido aqui.

Na primeira nota da guitarra já dá pra sacar quem é o dono. Assim me despeço de George: ouvindo em alto e bom som a introdução desta canção.
Para quem é ignorante como eu, fica aqui a pedra cantada por Leo Caldi.

Você sabe por que é que as páginas de internet da suíça terminam com .CH ? Porque é a Confederation Helvetique (Confederação Helvética).

E nem vem dizer que sempre soube disso porque é feio rir da burrice alheia, tá?
Da série 'meus standards prediletos': Donna Lee (Charlie Parker).

Recomendo qualquer versão gravada por Jaco Pastorius ou pelo próprio Bird.

Cacetada.
"Abre-te cérebro!" (Arnaldo Antunes)
Se eu ouvir mais alguém falar em Theremin, eu berro.

Socorro.
Carol e Fabi blogam de felicidade (são as mais recentes designers de Curitiba!) são belas, sorridentes, gracinhas demais e, é claro, curtem um chacundum.

29 de nov de 2001

Momentos de ouro de uma viagem à Bahia:


Eu por eu mesmo.


A mulher que eu amo ...


... de novo.


A xenti!


Adriana, Fabio, Mario (acertei?), Gabi, Manu e eu com cara de demente.


Momento Tony de Marco 1.


Momento Tony de Marco 2.


Voe Gol.


Idem.


E mais um tostão da minha voz.

Perceberam como a Bahia é linda?
Sen-sa-cio-nal. Joguinho em Shockwave desenvolvido pelo camarada Estiga e seus comparsas da LocZ. Diversão para toda a família.

28 de nov de 2001

Tostines vende mais porque é mais barato.
Senhoras e senhores, o mundo virtual de ora-ito, um rapazinho de 24 anos que começou sua carreira de designer industrial desenvolvendo, por espontânea vontade, produtos imaginários para marcas famosas como Apple, Louis Vuitton e Nike.

Seu site foi ficando conhecido e muitas empresas começaram a acreditar que tudo aquilo era de verdade, dada a seriedade e a competência com que tratava o assunto (com direito a press releases e tudo mais). Começaram então a surgir pedidos de encomendas de grandes magazines, daquilo que jamais havia sido fabricado (na verdade, sequer prototipado) como o 'isqueiro atômico Bic'. Resultado: hoje em dia muitos dos seus parodiáveis são seus clientes de verdade.

Uma verdadeira lição para os jovens designers de produto, que vivem chorando suas mágoas dizendo que não tem mercado, que é caro prototipar, que é isso, que é aquilo, muitas vezes justificando sua baixa produtividade e pouco reconhecimento.

Taí. Primeiro você cria e mostra serviço. Depois arruma o poblema.

27 de nov de 2001

Orgasmatron.
Bom, a Bahia não é exatamente a Pasárgada. Apesar de ter encontrado a mulher que eu quero e deitado na cama que escolhi, achei um lugar um pouco diferente do que me contavam. Como turista de 10 dias, ficam aqui as minhas impressões sobre Salvador e adjacências.

Baiano é lento - mentira. Não tive grandes aborrecimentos para ser atendido em postos de gasolina, shoppings, restaurantes ou no Mc Donald´s. O problema é que faz um calor do cão, e um pouco de lentidão acaba sendo inevitável. Mas no geral são bem eficientes.

É um lugar lindo - mentira. Salvador não tem o menor planejamento urbano, é uma zona total. Para se ter idéia, a orla - onde deveria ser a região nobre, como em qualquer cidade litorânea do mundo - é inteirinha cercada por favelas. Existem pontos pitorescos sim, como o Farol da Barra e algumas praias mais afastadas, mas no geral é pura probreza, bem diferente do que se vê nos cartões postais e do que se ouve nas rimas de axé music.

A comida é uma delícia - verdade. Lá se come muito bem e sem miséria. Recomendo o restaurante Yemanjá - não é a pedida mais barata, mas a comida é farta e deliciosa. Peça uma porção de acarajé, um bobó de camarão e uma caipirinha de cajá-manga e viva mais feliz.

A comida é apimentada - verdade. Alias, não que ela seja apimentada, mas a pimenta que eles servem é bem forte. Para os iniciados, é um prato cheio. Bom demais.

O povo é muito simpático - mentira. Pelo contrário, é um povo bem grosseiro, infelizmente (com exceção dos bahianos Adriana, Fábio e... putz, como era o nome do casal?, que são nota 1000). Ninguém me atendeu com um sorriso, muito menos com cara de muitos amigos. E se for ao supermercado, se prepare para arrancar na marra os carrinhos que a galera deixa - sem a menor cerimônia - no meio dos corredores. Se pedir educadamente que os retirem da passagem, esteja pronto pra tomar uma cara feia em troca.

As bahianas são lindas - verdade. 'O charme e a beleza da mulher brasileira'!

As praias são lindas - meia verdade. São bonitinhas, mas mal cuidadas. O povo joga lixo na areia, sem a menor cerimônia - coisa que o carioca aprendeu a não fazer. Ainda estou para conhecer praias 'de cidade' mais bonitas que as do Rio. Ipanema continua insuperável: areia branquinha, orla bem cuidada e as mulheres mais lindas do planeta.

Se come muito acarajé - verdade. Acarajé é o hot dog, o podrão bahiano - tem em todo canto, em qualquer barraquinha de rua. É baratinho, saboroso e confiável.

Tem trio elétrico o dia inteiro - mentira. Não vi um triozinho sequer, pela graça do bom Deus.

Toca axé music o dia inteiro - mentira. Antes fosse. Também toca Leonardo, Daniel, KLB, Sandy e Júnior...

ACM é rei - verdade. É o legítimo coronelzão. Dá pra ser feliz?

E mais:

. A Bahia é o único lugar do mundo onde chamam 'camiseta' de 'abadá'.

. Depois de dirigir na Bahia você passa a entender o termo 'baianada'. Ô povo ruim de roda.

. Schincariol é a cerveja do momento. Logo em seguida, Kaiser. Que mais eu posso dizer?
De volta. O bom carioca à casa retorna.

Arquivo do blog