Chacundum é um blog em dolby-stérico de Cláudio Reston, designer-músico e sócio da Visorama Diversões Eletrônicas.

8 de dez de 2001

Para quem tem mais de 25 anos: Hering Rasti, Espirógrafo e Batalha Naval.

Mais que aqueles emails pentelhos que entopem nossa caixa postal, um site recheado de recentes velharias que iluminaram nossa infância. De talão de loteria ao símbolo da TV Tupi, com direito a fotos. Coisa que eu não via há muito tempo mesmo, como os anúncios do Ferrorama e da Caloi (Não esqueça da minha Caloi!) e o logo da TVS, que muitos chamavam de TV Sílvio Santos. Vale a visita.

A sessão 'desenhos' é outra delícia. E eu achando que era o único que lembrava da música de abertura do Demolidor!
Hoje acordei Living Colour e Asian Dub Foundation, com pitadas de Harvey Mason.
Beber, bebi...

Nada como um Ronca após o outro. Atendendo a pedidos, MauVal manda avisar: dia 21, Ronca-Fecha-Tampa.

Pra selar, acorrentar e atirar ao mar o baú das mazelas de 2001.

7 de dez de 2001

Casa dos Autistas:



Trechos de um dia de filmagem com Elesbão e Haroldinho.
Da série 'meus standards prediletos': Airegin (Sonny Rollins).

Ouça a versão avassaladora de Gonzalo Rubalcaba, ou a brega-chique de Manhattan Transfer e faça as pazes com o mundo.

Ah sim, e pra quem achou estranho o nome dessa música: Airegin = Nigeria, de trás pra frente.
E por falar em samba, por onde anda João Roberto Kelly?

Lembro até hoje de seu programa 'Gente do Rio', transmitido pela TV Corcovado. Era genial. Entre um bloco e outro, o compositor - uma figuraça, parecia estar sempre bêbado -, autor de músicas como 'Cabeleira do Zezé' e 'Mulata Bossa Nova', dedilhava seu Fender Rhodes enquanto cantarolava clássicos do carnaval carioca (ou como ele próprio chamava, 'os grandes hits carnavalescos').

O mais sensacional era quando ele - lá pela 15a. dose, acredito eu - perdia toda sua inibição e lascava um trechinho de 'Mormaço', de sua autoria. Essa música deveria ser colocada num altar do samba, num hall of fame da poesia brasileira. Não me lembro exatamente da letra, mas o finalzinho do refrão nunca me escapou da memória: 'nosso amor foi um mormaço, que me queimou sem querer'.

Não é genial?

Pelo amor de Deus, se alguém tiver alguma gravação ou souber a letra dessa música na íntegra, manda pra cá.
Nada - nada - se compara a pressão de uma bateria de escola de samba.
Da série 'meus standards prediletos': It Ain´t Necessarily So (Gershwin).

Apesar de existirem várias, não conheço muitas gravações dessa música. Mas a do mestre Miles é de se ouvir rezando.

6 de dez de 2001

"O trabalho expande-se de modo a preencher o tempo disponível para sua realização." e "Quanto menor o interesse do assunto, maior é a discussão", já dizia Cyril Northcote Parkinson em seu livro "A Lei de Parkinson".

Deveria se chamar "A Lei do Designer".
Senhoras e senhores, eis aqui a maior capitular já vista na internet.

'Táquiupariu...
Uma tarde com Dona Maria:

"Vô acordá o Creito porra nenhuma... sô babá di ninguém. Fica aí no quarto tomandu pir*ca o dia inteiro... parece que sei lá... e tome pir*ca, e tome pir*ca. Num dá naum, Graudi.'

"Ô Sandra, si tu mexê no meu radim, quebro esse seu rabo. Num vem não... vai tomá um p*u nesse rabão, vai."

Só pra constar: Creito (Clayton) é um amigo do meu irmão, Graudi sou eu e Sandra é uma de suas filhas.

João Gordo: morra de inveja de minha empregada.
Hoje começamos a produzir nosso videofolio. Confesso que fiquei bastante impressionado (e feliz) com a qualidade do meu brinquedinho - até então ele não tinha sido utilizado para algo mais consistente, apenas para captação de imagens, como dizem, 'à moda c*ralho'. Fazendo alguns ajustes e gravando em condições razoáveis de luz, dá para chegar a um resultado muito bacana, algo próximo a 16mm.

Posso estar sendo precipitado, mas estou com uma ótima sensação em relação a essa nossa empreitada. Acho que vem coisa boa por aí. Mas ainda há muito trabalho pela frente, vamos aguardar.
Sou tricolor de coração.

5 de dez de 2001

Para quem vive dizendo que eu só aviso as coisas em cima da hora, antecipo-me: sexta-feira é dia de Ronca-Ronca, festa comandada pelo lendário MauVal, no Cine Ideal. Não preciso dizer pela trocentésima vez que é imperdível.

Imprima já sua filipeta e programe-se para não perder uma das melhores coisas que acontecem nessa cidade.

A gente se vê lá.

4 de dez de 2001

Aliás, existem três lugares onde pessoas (aparentemente) normais se transformam em completos retardados:

1. Cancela de estacionamento de shopping;
2. Caixa de banco;
3. Saída de escada rolante.
Uma rápida passada no Rio Sul me faz crer que não existe:

1. Época do ano mais insuportável;

2. Algo mais mal projetado que o caixa automático pra pagar o estacionamento desse maldito shopping;

3. Coisa mais bacana que mulher de calça Capri e sandalinha de salto fino.

3 de dez de 2001

Uma tarde trabalhando no cd-rom do relatório anual de Furnas, uma tarde de mau humor garantida.

Mas não há cara feia que o som de C + C Music Factory não cure. Não sou fã de house nem de dance music, mas eu amo esses caras. O trabalho de produção musical deles era fantástico, recheado de detalhes, viradas e timbres de bateria, numa pulsação muito própria, inimitável - tanto que hoje, muitos moderninhos sampleiam suas levadas sem medo de serem felizes.

Genial.
Leo Caldi, camarada dos tempos de Afeganistão, inaugura seu blog. Design com transmissão ao vivo, diretamente da terra de Napoleão.
Hoje fui ver "Sexto Sentido - parte II". Legalzinho. É de Hollywood mas é limpinho.

O interessante é que tinha tudo pra ser um daqueles filmes cheios de efeitos especiais cafonas, mas não é. Ponto pra eles.

Cinema é a maior diversão.

E a Nicole tá batendo um bolão.

Arquivo do blog