Chacundum é um blog em dolby-stérico de Cláudio Reston, designer-músico e sócio da Visorama Diversões Eletrônicas.

19 de jul de 2002

O visual desse blog (se é que existe algum) já está me dando nos nervos. Precisava saber um pouquinho só de html pra deixar isso com uma carinha mais simpática. Já já eu mando esse logo do dolby stérico pro saco.
Há anos que a gente não pegava um trabalho de identidade visual pra fazer. Anos.

É engraçado, a gente passa o tempo inteiro fazendo coisas complexas, cheias de detalhes, texturas, deitando os cabelo nas ilustrações tipográficas e tal, e na hora de fazer algo completamente simples e "caretão" (no caso, a identidade visual pra um escritório de advocacia) acaba tomando uma surra. Mas a graça da profissão é justamente o desafio e a diversidade. Se eu quisesse mesmice teria sido padeiro. Provávelmente teria mais dinheiro também. ;D

Mas tá nascendo! Ufa.
Sensacional.

Dica do Fernando, The Analog Kid.
Manja aqueles dias que a gente acorda com vontade de mandar um à merda? Pois é, hoje eu tô num desses.

Deviam criar um serviço de disque-agressão. Você liga pro sujeito e passa o tempo necessário para descarregar sua raiva xingando-o até sua última geração. E com opção para agressão coletiva (várias pessoas do outro lado da linha) e/ou revide (o atendente te xinga de volta, pra deixar a discussão mais intensa).

Tudo isso pela bagatela de R$1,00 o minuto. Não seria maravilhoso?

18 de jul de 2002

Recebemos um telefonema muito curioso hoje. Ligou um cara aqui pro escritório só para dizer que curtia muito o trabalho da gente.

Depois, queria saber onde é que ele podia baixar os funks que nós fizemos há um tempo atrás, pois ele perdeu a fita (ou seja, ele tinha isso gravado em K7) que continha as músicas.

Acho maneiro quando essas coisas acontecem. Primeiro porque é muito bacana alguém que você nunca viu / conversou te ligar só pra dizer que gosta do que você faz. Segundo porque é bizarro alguém ligar pro seu escritório pra pedir a url dos funks que você fez. Acho que só aqui mesmo. :)
E nasceu a sobrinha do Jean! =D
O site é antigo, mas é sempre bom relembrar: A Teoria do Fusca.

Fusca - onde tem um, tem outro.
"Música eletrodoméstica encontrada em porão pode matar?

As músicas postadas aqui foram encontradas no porão da extinta gravadora Chantecler. Estavam em um rolo, dentro de um cofre. Não se sabe ao certo por que estavam esquecidas ali, protegidas por combinações e chaves, e a maneira como foram descobertas também não está muito clara. Mas vou reproduzir aqui a história que me contaram. (...)

(...) O relato que chegou a meus ouvidos foi que o cantor teria sido assassinado, sem que seu algoz jamais fosse capturado, apesar de todas as suspeitas recaírem sobre um suposto fã. Parece que o dono da voz que se ouve nessas músicas era na verdade baixista, e acompanhou em várias turnês o cantor Jessé, participante do saudoso programa Qual é a Música, apresentado por Silvio Santos na antiga TVS, hoje SBT. (...)"

Para ler a estória na íntegra e baixar as músicas, clique aqui.

17 de jul de 2002

Tricolores de plantão, regozijai-vos. Dominique manda avisar:

Fluminense Campeão - Filmes do Canal 100 das Grandes Conquistas Tricolores - 1959 - 2002. De 24 a 27 de julho, as 12:30h no Cine Odeon. Ingressos a dois real.

16 de jul de 2002

Pô, acordei hoje com o maior torcicólogo (tm).
Bom, quanto ao Anima Mundi: assisti hoje a uma sessão só de videoclipes britânicos.

Quanto às animações, nada que eu já não tivesse visto ou que me deixasse boquiaberto. Agora, quanto à música britânica atual, posso te afirmar que ela anda chata demais.

Valeu mais pelo antológico clipe da Sledgehammer, de Peter Gabriel. Definitivamente um divisor de águas.
E já que estamos falando sobre videogames e eu sou um cara muito gente boa, aí vão mais dois links de prima:

1. The Arcade Flyer Machine. Um mega repositório de anúncios de máquinas de fliperama. Um colírio para os olhos e um puta material de referência para os dizáiners. Vale ver um a um.

2. The History of Computer Games. Uma breve aula sobre a história dos jogos de computador, pra tirar a poeira do célebro.

Bom divertimento.
Aliás, aprenda a fazer seu próprio xadrez holográfico.


Engraçado... uma coisa lançada nos anos 80 e que eu jurava ser o futuro dos arcades, mas que infelizmente fracassou e caiu em total esquecimento: os laserdisc games.

Eu amava esses jogos. Os mais conhecidos eram Dragon's Lair e Space Ace, mas nos EUA eu tive a oportunidade de jogar dois dos mais sensacionais de todos: Cobra Command e Time Traveller.

O primeiro, um verdadeiro arcadão, um mix de joguinho de tiro com desenho animado. O segundo, um jogo de luta holográfico que lembrava o lendário "xadrez" do Star Wars. Pena só te-los visto uma vez na vida, e nunca consegui jogá-los no Brasil. Sumiram do mapa pouco tempo depois, provávelmente devido ao custo elevado dos aparelhos e discos de vídeolaser. Se não me falha a memória, a MSX tentou lançá-los para sua plataforma (fizeram até uma demonstração numa feira de informática lá no Riocentro há séculos atrás), mas o custo era tão absurdo que não vingou.

Aí fiquei pensando com meus botões: ora, hoje em dia isso poderia muito bem ser relançado em DVD, já que os preços da mídia e do player são ridiculos. Ou até mesmo em CD-Rom, já que compressão de vídeo hoje em dia é brincadeira de criança. Viabilizaria muito mais seu sucesso.

E não é que alguém já tinha pensado nisso? Graças a Deus essa empresa está tratando de relançar aos poucos todos os títulos, para o deleite dos órfãos desses brinquedinhos. Já lançaram Drangon's Lair I e II, Space Ace, Time Traveller e mais uma meia dúzia, alguns em DVD, outros em DVD e CD-Rom. Coisa linda de se ver.

15 de jul de 2002

Não sabe o que fazer com aquela motherboard caduca e aquele hd velhão que você guarda na gaveta? Então aprenda a montar um mp3 player pro seu carro com essas tralhas.
Cameron Crowe é realmente um cara legal. E Quase Famosos é um filme igualmente legal, uma delícia de ver e ouvir. E sei lá, me deixou com a sensação de ser meio autobiográfico, do tipo 'biografia baseada em fatos mais ou menos reais", saca?

Aliás, no primeiro número da Zero tem uma matéria bem interessante com ele, pena que no site não tem material de edições passadas.

E eu que andava meio porraqui com essa galera rock'n'roll... que surpresa agradável.

14 de jul de 2002

Jeitinho brasileiro é o cacete. Tô de saco cheio disso.

Vai acreditando nessa ladainha de 'país do futuro', vai... Enquanto o Brasil for essa nação de malandros, onde todo mundo quer se dar bem em cima de todos, o tempo todo e a qualquer custo, essa merda não vai pra frente mesmo.

Desvio de verba pública, orçamentos superfaturados e armações de qualquer espécie deviam ser considerados crimes hediondos. Na boa, não aguento mais essa gente.
Existe coisa mais inútil que o sujeito ser campeão mundial de embaixadinha?
Comprou aquele DVDzão player nacional e tá puto da vida porque não consegue rodar DVDs importados? Clique aqui e aprenda a destravá-lo.

Arquivo do blog