Chacundum é um blog em dolby-stérico de Cláudio Reston, designer-músico e sócio da Visorama Diversões Eletrônicas.

22 de nov de 2002

E Lia manda avisar: o maravilhoso mundo de Coop, um dos ilustradores mais fodões e tarados de todos os tempos.
Jorge Vercilo - ídolo da música popular.
Jorge Versículo - fenômeno da música evangélica.

21 de nov de 2002

E a Helô disse que encontrou um sósia meu lá em Maryland. :)

20 de nov de 2002

Da série "as babaquices que mais me divertem" (ou "como se divertir com muito pouco"):

1. Trocar "v" por "b". Tipo... "peguei a bassoura pra barrer o chão", ou "bolto ainda hoje".
2. Trocar os plurais das palavras: comemoraçães, alemões, degrais, museis, cidadães, etc.
3. Soltar um "olha a margem" sempre que alguém diz algo que dê margem a uma interpretação maldosa.
4. Falar o óbvio ululante. Quando está caindo um temporal filho da mãe lá fora, soltar um "tá chovendo, né?". Ou então, ao ouvir um som de batida de carro, sirenes passando ou garrafas quebrando, mandar um "aconteceu alguma coisa".
5. Falar "babaneira", "babanada" e "cabeleleiro".

Depois conto mais.

19 de nov de 2002

"What you need to learn is that being creative is not enough in this business. You have to become technical. Creative people are born creative - you're lucky. Technical people however can never be creative. Its something they'll never get. You can't buy it, find it, study it - you're born with it. Too many creative people don't want to learn how to be technical, so what happens? They become dependent on technical people. Become technical, you can learn that. If you're creative and technical, you're unstoppable. (...)"

Quer fazer um filme, mas não sabe por onde começar? Robert Rodriguez, diretor do premiado El Mariachi (que lhe custou 7.000 dólares do bolso para sua produção) te ensina em 10 minutos.

18 de nov de 2002

a flor flore
a aranha tece
o designer designa

* depois de Augusto de Campos
Esses desenhistas de fontes e suas criações maravilhosas.



Eu adoro esse letreiro. Fica na Rua Alice, ao lado do bar Serafim.

O desenho dessa fonte me lembra demais o da Cuba, de Pablo Medina (um dos meus type designers contemporâneos favoritos).

Arquivo do blog