Chacundum é um blog em dolby-stérico de Cláudio Reston, designer-músico e sócio da Visorama Diversões Eletrônicas.

5 de mar de 2003

Bivitelinos: Bob Esponja e Daniel Azulay.
É sério que Lacraia e Égüinha Pocotó viraram semi-hinos nacionais?

É incrível... A coisa sempre tem como piorar.

4 de mar de 2003

Uma das coisas legais de tocar em bandas é o entra-e-sai das salas de ensaio dos estúdios. Você está sempre reencontrando e conhecendo músicos e bandas, o que até certo ponto te deixa ligado sobre o que rola na cena.

Semana passada encontrei Muzak (ex-Funk Fuckers), Lourenço (ex-vizinho / Toni Platão) e Guilherme (atual vizinho / Toni Platão e Grave!), três puta músicos, gente fina pacas, levando um som lá no Hanói, que há anos é um dos principais QG's das bandas alternativas. Eles estão com um power trio que, pelo que ouvi de relance, deu pra sentir que é coisa boa. É provável que estejam tocando os sons do primeiro disco solo do Gabriel, elogiadíssimo pelo Christian Caselli na Tribuna da Imprensa.

Outro figuraça que está com um projeto de música eletrônica (The John Merryck Experience) é o Tantão. Esse eu ainda não encontrei ensaiando, mas também nem precisa. Quem mora no Rio vive esbarrando com ele nos poucos redutos alternativos da cidade. Conhecendo a peça, acredito que seja no mínimo curioso. :)
E já que estamos falando de música, que surpresa. O cd do Unscarabrown, banda a qual participei por uns bons 6 anos (e que também fui um dos fundadores) está a venda na loja da Som Livre, naquele esquema de monte-seu-cd-com-as-músicas-que-quiser.

Hoje em dia, olhando com um certo distanciamento, acho que nosso som era pop demais pro meu gosto, no sentido não muito bom da palavra. Mas foi divertido, bons tempos. As que eu mais gostava eram Por Que Será? e Jacaré, talvez por terem uma pegada mais rock. Um dia eu as coloco na íntegra aqui, pra quem quiser baixar.
Aliás, produção musical e/ou direção artística é algo que eu ainda pretendo fazer para alguma banda.
Univitelinas: Tardes de Outubro (CPM 22) e Núcleo Base (Ira!).

2 de mar de 2003

Até quando as pessoas vão dizer que desfilar "é uma emoção muito grande", "é muita energia" e que "não dá pra explicar" ?

Arquivo do blog