Chacundum é um blog em dolby-stérico de Cláudio Reston, designer-músico e sócio da Visorama Diversões Eletrônicas.

1 de fev de 2003



Eu já achava o Portishead bom.

Mas depois de assistir ao DVD gravado no Roseland (NY), acaba de se tornar uma das minhas bandas prediletas.

Sempre me soou como um puta embuste essa coisa de inserir orquestras em shows de música pop. Difícilmente não fica gratuito. Mas no Portish, ela é quase que a própria banda.

Aliás, não é bem isso, mas é meio que isso.

É complicado explicar, porque é difícil entender como eles conseguem misturar tantos timbres diferentes (scratches, theremin, bateria, baixo, trompa, violino, trombone, violoncelo, baixo acústico, hammonds, e por aí vai) de forma tão harmonica e orgânica.

A sonoridade? Um misto de música de filmes de suspense, filmes policiais da década de 70, com trilha do 007 e Bjork.

A engenharia de som? Primorosa. Mais que uma simples equalização, ela é a grande responsável por toda climatização dos arranjos.

Lindo.

Nenhum comentário:

Arquivo do blog